Porto Post Doc: Ficções do Real

A ideia inicial do festival reaparece nesta 5º edição, defendendo sempre a sala de cinema como o lugar onde tudo acontece, um tempo magnífico de partilha entre espectadores, cineastas e os seus filmes. No cinema toda a ficção começa quando se acredita que é real. A nossa consciência e a alma do Porto/Post/Doc trazem de novo a convicção que o cinema é documental, é imaginário e é material, é um lugar onde podemos ver-nos ao espelho, ser heróis, aprender a ser melhores nem que seja por um dia, ou durante o tempo de um filme. Da sala escura às ruas da Baixa, há histórias que se cruzam no Rivoli, no Passos Manuel, no Trindade e no Planetário. Sonhamos e voltamos à terra.

200 horas, 100 filmes e nove dias de festival, que revelarão mais do nosso mundo, atravessando o tempo que é o nosso, ora descobrindo, ora voltando a temáticas fulcrais para entendermos melhor o século XXI: a propaganda na Rússia, a etnografia na costa do Perú ou em Trás-os-Montes, o conflito armado na Crimeia e nos Balcãs, a transexualidade no Brasil e a prostituição no Japão, onde a condição de classe ou de género sublevam a condição humana de migrantes que resistem, como no Saara Ocidental, ou partem para terras mais boreais onde auroras nos dão a ver um pouco mais do que esperança.

Transgredimos fronteiras num jogo de claro-escuro para tecermos elogios aos príncipes da música pop e dar cobertura ao nascimento de uma nação: Kosovo. Mas sobretudo, provocamos, debatemos e pensamos juntos com o público e os cineastas as fronteiras da ficção e do real.

De 24 de Novembro a 2 de Dezembro, entre concertos, conferências, festas, programas para famílias e exposições, há filmes no Porto/Post/Doc.

Porto Post Doc