Fantasmas da Europa

Foi a partir de temas que norteiam o pensamento da figura homenageada nesta edição da Feira do Livro do Porto - Eduardo Lourenço - que o programa de cinema foi comissariado. Ao longo de duas semanas será apresentado um conjunto de filmes que, a partir de diferentes ângulos críticos e linguagens, desafiam alguns dos aspetos mais profundos da matriz identitária da Europa e abordam acontecimentos culturais e políticos que constituíram pontos de rutura ética e cívica no contexto europeu (e ocidental), ao longo dos séculos. Propõe-se um programa de cinco obras singulares, amadas e até odiadas pelo público e pelos críticos, que marcam a cinematografia europeia das últimas décadas. Filmes que nos falam de fé e religião, ideias de uso e ocupação de territórios, formas de pensar e fazer política, e de expressões de sublevação e irreverência social, numa diversidade fílmica e artística que consegue ela própria sublinhar as contrariedades presentes no espírito europeu. A herança da nossa cultura, como escreveu Eduardo Lourenço, reflete também esta constante necessidade de revisitação e provocação, esta “cultura de inquietação… de desafio radical aos deuses como figuras da certeza”, de que os filmes apresentados entre 8 e 22 de setembro, no auditório da Biblioteca Municipal Almeida Garrett, são testemunho.

Guilherme Blanc (CMPorto)

Joana Canas Marques (Cineclube do Porto)