Um festival de cinema fora da sala

Está aí mais uma edição do Festival Porto7 – Festival Internacional de Curtas-metragens do Porto, a oitava.

A criação deste festival em 2008 assentou em diversos objectivos. Entre muitos saliento os seguintes: Promover e desmistificar o que eram curtas-metragens procurando atingir novos públicos; promover nacional e internacionalmente espaços que são património histórico e cultural da Cidade do Porto que estavam abandonados dos roteiros culturais e das exibições cinematográficas; impedir que a situação económica de cada pessoa não seja um barramento de acesso à cultura cinematográfica. A entrada é grátis em todas as actividades.

Ao longo destes anos e de uma forma cronológica o Festival Porto7 arrancou no CCOP transformando uma antiga sala de espectáculos abandonada numa sala de cinema.

Levou ao excelente auditório do Museu Soares do Reis pela primeira vez um festival de cinema com o After Festival no velódromo a manter as portas do Museu abertas para lá das quatro horas da manhã. O Pequeno Auditório do Rivoli Teatro Municipal foi por três vezes a casa do Porto7.

Ainda no centro da cidade o cinema Passos Manuel também foi utilizado pelo Porto7 por uma edição.Na 7ª e 8ª edição o Festival Porto7 desloca-se do centro da cidade para a Foz do Douro e Aldoar ocupando o Forte de S. João Baptista da Foz (vulgarmente conhecido como castelo da Foz) e o Teatro da Vilarinha.

Numa altura em que o centro da Cidade do Porto fervilha de gente, assim como de ofertas culturais (contrastando com 2008), sentimos que parte da missão nesta zona da cidade está cumprida.

Esta deslocação para a periferia da cidade faz todo sentido. O Porto não é só a baixa. É muito mais.

Fica aqui o convite para o Porto7 de 10 a 14 de Junho. Em competição teremos muitas estreias mundiais, europeias e nacionais de ficção, animação, documentário e videoclip.

Direção Porto7