Nada a Esconder Michael Haneke

França, 2005, FIC., 118’

Prémio de melhor realizador – Festival de Cannes (2005)

Centrado na história de um casal da classe média-alta parisiense e na sua angústia perante várias ameaças anónimas que vêm a receber, este filme descortina os medos da sociedade moderna europeia, relacionando as questões atuais da vigilância e da hipercomunicação com os traumas de uma França pós-colonial, ainda em digestão da Argélia, colocando em confronto esta sociedade polida, culta e cosmopolita com os medos e receios da nossa contemporaneidade. Este filme garantiu a Michael Haneke o prémio de melhor realizador no Festival de Cannes.

Sessão integrada na Feira do Livro do Porto

Apresentado por Pedro Mexia